Uma das coisas que eu mais não suportava ouvir era o tal do “não tive tempo”. Na minha cabeça, entendia que era uma frase de perdedor, de gente que não queria coisa alguma na vida etc.

Só que, refletindo e até entendendo as pessoas, eu compreendi que a razão disso seja, talvez, a falta de foco, decorrente de um desinteresse pelo o que teria que fazer, de aquilo não estar no caminho da pessoa, não ser o momento etc. E isso tudo até fé forma  inconscientemente.

No post anterior (Tempo amigo – aliás, recomendo a leitura, para melhor entender este texto), eu falei sobre o que está reservado a nós, e no momento que as coisas devam acontecer, pois cada um tem um time para que as coisas aconteçam. Às vezes, aquilo não é para ela, outras vezes, não é o momento para aquilo acontecer. Evoluímos e, com o passar do tempo, ganhamos maturidade. Assim, acabamos descobrindo nosso caminho, e ao quê devemos nos dedicar. E isso acaba dando energia para nos focarmos, e nos dedicarmos como deveríamos, ou achávamos que deveríamos anos anteriores.

Perdemos tempo? Não. Nos identificamos, e acabamos tendo conhecimento de qual o nosso dom, nossa real vocação, e ai a coisa flui. Conseguimos energias até de onde nunca imaginávamos que tivéssemos, e, a partir dai, trabalhamos com afinco nesse projeto. Acontece que essa maturidade vem com o tempo, vem com suas experiências de vida, com seus erros e acertos. Então, não se culpe.

Aliás, peço, de coração, desculpas a todos os que, sem eles saberem, critiquei em meus pensamentos, quando os taxava de preguiçosos, descompromissados e por ai vai. Não que eles estivessem no lugar errado, na hora errada; muito pelo contrário, hoje vejo que estavam na hora e lugar certos, pois precisavam passar por onde passaram, e eu pelo daquelas pessoas; um duplo aprendizado. Não fosse isso, eu, particularmente, não teria refletido sobre tudo isso que escrevi. Bem, continuemos…

Por outro lado, existem também os tontos, aqueles que são vagabundos mesmo, na acepção da palavra. Não querem crescer, tampouco melhorar de vida. Mas ai, é outra história. No meu trabalho, por exemplo, aprendi a reconhecê-los, e a tratar os desiguais de maneira desigual… Pois é, ai surge meu lado rústico, quando dizem que tô “virado no Jiraya” [rsr].

Pois bem, se você acha que anda procrastinando com relação ao que entende que deveria fazer, estudar, por exemplo, pare e procure se entender, ouça o seu coração, e sinta se é isso mesmo que gostaria de fazer, ou se é o momento; a resposta virá, naturalmente. Tudo tem seu tempo, e cada um se encaixa em seu devido lugar. Mas, é claro, as coisas não acontecem passivamente, depende de nossa mudança interior, e do que buscamos. Quanto mais buscamos, mais rápido encontramos…

Bem, agora, se você já tem essa resposta, vá fundo! Acredite em você! Lute, melhore-se a cada dia, e colha seus merecidos frutos em breve!

A Vida conspira em seu favor, desde que você viva a sua vida, não a de outros…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s