Bravos soldados

Em minha experiência profissional vi, vivi, e também ouvi dizer muita coisa; alguns desses episódios quisera jamais ter chegado ao meu conhecimento.

Das experiências marcantes, tirei lições e comecei a rascunhar histórias baseadas nesses anos de aprendizado. Após alguns anos neste projeto, lanço esta obra, na qual presto uma merecida homenagem a todos os policiais militares, verdadeiros heróis desconhecidos.

Bravos soldados é um romance inspirado no dia a dia de milhares de policiais militares, o qual retrata seus atos heroicos, as dificuldades enfrentadas, seus sonhos, dores e frustrações, por meio de várias histórias trazidas à obra, em uma narrativa empolgante, que prende o leitor do começo ao fim.

Vibre

“No entanto, ao que parecia ser mais um tranquilo término de serviço, caiu uma nova ocorrência, como se falava no jargão policial: “Atenta a rede! ”; “Atenta a rede! ”; o COPOM (o Centro de Operações da Polícia Militar) pedia prioridade. Àqueles policiais que teriam um bom descanso, o trabalho estava apenas recomeçando; sabiam não haver hora de terminar. E, na verdade, na hora do atendimento de urgência, realmente, o término do serviço era a última coisa que pensavam, e, sequer no perigo que enfrentariam se preocupavam. Acionavam as sirenes e iam ao encalço do perigo. Muitas vezes, passada a ação, percebiam quão grave fora aquela situação, mas, aí, já havia acontecido. “

Chore

” Os policiais que ouviam a comunicação, juntamente com o operador de rádio do COPOM, permaneceram sem reação. Um silêncio se instaurou.
– Mataram um pai de família, COPOM! Mataram um pai de família, COPOM! Perdemos mais um bom policial – gritou alguém na rede. “

Sinta suas dores

“Chegou o derradeiro momento. Uma enorme multidão fixava seu olhar em sua direção. Engoliu um nó preso na garganta, respirou fundo, e com uma voz firme, mas, em seu íntimo, muito triste, um Sargento, trajando uma alinhada farda camuflada, em tons de cinza e preto, deu seu comando de voz:
– Guarda, sentido!  Em funeral, armas!
Aos movimentos precisos de armas, policiais militares de uma Guarda Fúnebre executaram as primeiras ordens, prontos a receber outras respeitosas restantes.

– Carregar; apontar; fogo!
“Tum”! Um grave uníssono penetrou profundamente nas almas dos que acompanhavam aquela cerimônia. Susto, medo, arrepio, choro e emoção. Houve uma revoada de pássaros. O silêncio daquele sepulcro foi interrompido pelo mesmo som que tirara a vida de um homem… “

Orgulhe-se de sua Polícia!

– COPOM! É uma menina! – gritou no rádio o encarregado da 110, todo eufórico.
– A 110, dê um RPT? – o controlador não entendeu a comunicação.
– Positivo, COPOM. O QRA da Mãe é Maria do Socorro; chegamos no PS, a criança já tava nascendo; acabaram de fazer o parto! A mãe, apesar de fraca está bem! Nós não a perdemos, COPOM! Nós não a perdemos! – falou irradiante e feliz por aquela vitória.

Gostou?

Só digitar “Bravos soldados”

O livro está disponibilizado na Amazon (www.amazon.com.br), na forma de E-book!

Você poderá lê-lo em seu celular, tablet, desktop ou dispositivo Kindle. Basta baixar o App Kindle na Play Store ou App Store de seu aparelho.

Boa leitura!

5 comentários em “Bravos soldados

  1. Muito intenso, reflete a mais pura realidade! O PM Ribeiro que trabalhou no Mausoléu do Araçá e foi entrevistado em minha dissertaçao me contou o convívio com familiares e amigos de PM que jazem no Mausoléu de Heróis em suas visitas aos túmulos. Ribeiro contou detalhes de cada caso muito semelhante à sua descrição no livro. Parabéns e Sucesso Kage!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s